quarta-feira, março 28, 2007

Instruções para conhecer Buenos Aires


A uma semana de pisar novamente em Buenos Aires, reproduzo aqui esse texto escrito dois anos atrás, em tempos de aventuras libertário-literárias com Pedro Carrano.

Primeiro, circule no mapa da cidade todos os 150 lugares que se quer conhecer, mesmo sabendo que seriam necessárias 3 semanas pra percorrer a metade deles.

De manhã, ao acordar, tome seu desayuno escutando a rádio La Dos por Cuatro e arrisque uns passos de tango se ninguém estiver olhando.

Sorria sempre que vir um homem argentino cumprimentando outro com um beijo na bochecha, sem as viadagens típicas dos brasileiros.

Fotografe a casa rosada com filme preto e branco.

Apêndice 1: as ruas

Marque um encontro qualquer na esquina da Corrientes com a Anibal Troilo, como faziam os dirigentes do partido socialista argentino.

Por alguns minutos tente imaginar a cor dos olhos de Juana Manso - umas das 30 mil pessoas que desapareceram em Buenos Aires na época da ditadura - enquanto se caminha pela rua que tem o seu nome, perto de Puerto Madero.

Num domingo de chuva, passeie tranquilamente pelas ruas de liliput, assim chamadas pelos moradores do bairro de Flores, quando crianças.

Escolha uma tarde de sol infernal e caminhe da plaza de mayo até a recoleta até encontrar a biblioteca nacional fechada. Volte sem fazer cara feia.

Duvide, realmente duvide que a 9 de julio é a avenida mais larga do mundo. Diga isso a um portenho e observe como sua expressão facial se altera em poucos minutos.

Apêndice 2: conhecimento-geral

Aprenda que há milhares de anos na Patagônia existiu o Argentinosauro.

Se sinta um palerma por não entender a maioria dos lunfardos (gírias) portenhos.

Saiba reconhecer que a expressão "Aburrido como una tortuga de aljibe" é de uma melancolia e beleza que não existem na língua portuguesa.

Deixe a letra de um tango te ensinar que "mate", além de bebida, é uma outra palavra para "cérebro".

Apêndice 3: os metrôs

Preste atenção nos portenhos que trazem debaixo do braço grossos volumes para ler entre uma estação e outra. É interessante perceber os títulos, que vão de Mario Benedetti a El Ladrón de Tumbas, passando por obras acadêmicas que as universitárias lêem orgulhosas enquanto se penduram nas argolas do teto dos trens.

Mais de uma vez, faça o percurso do metrô pela linha A, a mais antiga da cidade, parando em todas as estações desde a Primera Junta até a Plaza de Mayo em busca das criaturas pálidas que habitam os subterrâneos de Buenos Aires. Lembre-se que, por cima do túnel, corre a Avenida Rivadavia.

Ande de metrô escutando Tosca Tango Orquestra no walkman e note como até as velhas gordas com sacolas de mercado parecem saber dançar.

Outros apêndices

Incline a cabeça num ângulo de 95 graus e repare os detalhes das folhas de Tipas, imensas árvores responsáveis pelas sombras frescas do Museo de Ciencias Naturales.

Tente enxergar o menor parque de diversões do mundo quando passar pela esquina da Rojas com a Bacaray, em Caballito.

Passe em frente ao zoológico de Buenos Aires, morada de um sem-número de gatos, e faça um telefonema demorado.

Escondido atrás de uma roseira, tire fotos dos casais que passeiam pelo parque 3 de Febrero, em Palermo, e vibre se conseguir clicar um beijo.

Assista a uma película portenha com Ricardo Darín sem legendas, num cinema de arte da calle Suipacha.

Jamais desista de encontrar o lendário cantor de tango Julio Martel, mesmo que tenha que passar pelas ruas mais obscuras da cidade ou entrar no Palácio de Obras Sanitárias da calle Cordoba.

Bote a mão no peito quando tocar o Hino Argentino à meia noite, transmitido por todas as rádios da capital quando se encerra a programação.

Agora, volte aos 150 pontos circulados no mapa da cidade, ache mais 70 e guarde tudo pra ver - e rever - quando voltar à Buenos Aires.
Porque, sim, você vai voltar.

9 Comments:

Blogger quê? said...

Três observações de um terceiro:

1. Lembre-se que a maior livraria da América Latina é a Ateneo, mas NÃO a da Calle Florida. Na pior das hipóteses, ao menos não se deixe ver fotografando uma livraria comum.

2. Demonstre indiferença ao Abaporu, no MALBA. Você NÃO passou a vida vendo reproduções dele em apostilas do colégio. Demore-se em Frida Kahlo e, no máximo, respeite Portinari. Vão achar que você é argentino.

3. Aconteça o que acontecer, não coma no Burguer King.

7:54 AM  
Blogger * polifönica * said...

[só pra dizer aqui rapidinho! também vou ver o yann tiersen!! não caibo mais em mim! beijos, amora. por conta de ti que vou ve-lo. obrigadinha, amora]

6:27 PM  
Anonymous Anônimo said...

quando quero elogiar, digo que se trata de algo que é de chorar. esse texto é uma das coisas pelas quais eu choraria.

lindo, mari. dá vontade de correr pra lá.

vilmar luiz.

11:12 PM  
Blogger paula said...

amora-framboesa, nao sei se vc recebeu minha sms, mas aqui vai, registrado:
a carta mais linda - e esperada - dos últimos anos!
=)
beijos pra ti e pro nono, e uma viagem incrível pra vocês! =) amor, paula

6:49 PM  
Anonymous paula dudas said...

ei, flor, corre lá pro meu flog e ve uma cousa pra ti, jabutizinha! beijo

8:42 AM  
Anonymous paredro said...

:)

6:14 AM  
Blogger DANIEL PEARL said...

O noticiário internacional dos jornalões é editado de forma que depõe contra o próprio jornalismo, seja através da manipulação da informação ou mesmo pelo silêncio comprometedor. O Brasil não fica atrás, nossa mídia é hoje conhecida como “GOLPISTA”. Veja a situação do jornal O Globo, voltou a incentivar a discórdia entre países sulamericanos. A manipulação da informação chega as raias da imbecilidade, como é o caso de Reinaldo Azevedo, pau-mandado da Elite Paulista, disse em seu blog (da Veja): "Lula construiu até hoje um único presídio, o de Catanduvas". Tem credibilidade um jornalista como esse? Ou é um mentiroso a serviço da oposição, ou é um ignorante desinformado. O que a mídia golpista não pode desfazer é as conquistas do governo Lula, em 30 anos de luta após o início do movimento de reorganização sindical no Brasil, a classe trabalhadora vive agora o seu melhor período de vitórias. Leia tudo no DESABAFO PAÍS: http://desabafopais.blogspot.com. Com cara nova.

4:32 AM  
Blogger Milla Jung said...

Querida,
Amei!
Encuentros abiertos em Buenos Aires este ano, em?
beijão,
Milla

1:25 AM  
Blogger Rafael Urban said...

as instruções parecem ser da maior utilidade. as colocarei em prática na próxima viagem. já que a martel do cinema não me deu bola, vou em busca do senhor do tango de mesmo sobrenome.

as fotos porteñas estão lindas. quero ver as outras da coleção.

saludos,
rafael

8:32 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home