quinta-feira, abril 10, 2008

dormir, escrever, explodir

“Um escritor escreve para não explodir. E isso é tudo. O mais são firulas e lantejoulas. Um escritor escreve porque não agüenta mais. Quem suporta mais um pouco, não escreve. Simplesmente vai pra casa, janta, vê televisão e dorme em paz. Dorme o sono dos justos, dos ignorantes ou dos otários. Não sei. Sei que dorme."

João Antônio, o gênio da literatura brasileira que escreveu Malagueta, Perus e Bacanaço.

3 Comments:

Blogger Milla Jung said...

que lindo Mari.
beijo grande e saudades,
Milla

11:52 PM  
Blogger meu paredro said...

Não precisa ser escritor, Mari. Basta estar entre os des-inquietos; ter mais vontade do que juízo. Aí não se dorme, e o tempo é lançado aos tubarões da inquietude.

Três dedos de Castelo Sangrento em memória de ti.

Beijo.

7:02 AM  
Blogger Vizionario said...

Ótima citação!

Estou pensando a dias nisso, em como o cara definiu tudo de maneira objetiva e direta.

O link também é válido. Muito bom.

Só não gostei dessa nova de comentários tem que ser aprovados. Sou contra isso em blogues. Mas, enfim, o espaço é seu, as regras são suas, então é isso aí....

bjs

1:34 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home